Qualidade de vida no trabalho

Importância do sono para saúde mental

Daniela Haidar Chohfi -

O sono possui um grande vínculo com a saúde mental e com a saúde física. A má qualidade do sono pode levar a inúmeras complicações, como ansiedade, obesidade e depressão, por exemplo. Devido à pandemia que estamos vivendo, nossa rotina mudou e isto contribuiu para o aumento do nível de estresse e no uso indiscriminado de computadores e televisões.


Tudo isto impacta na quantidade e na qualidade do sono. Dormir faz parte do ciclo natural e quando o sono não aparece naturalmente, significa que o cérebro foi confundido através de maus hábitos e, por isso, é preciso reprogramá-lo.

Alguns pensamentos como “não vou conseguir dormir hoje” ou o simples fato de associar a cama a outros estímulos que não o ato de dormir e relaxar, podem estar contribuindo para um sono alterado. Dessa forma, a Terapia Cognitivo Comportamental poderá ensinar o cérebro a adormecer através de mudanças de hábitos e contribuir para um sono saudável e reparador.

Para melhorar de forma significativa a qualidade do sono, o comportamento precisa ser mudado. Para isto, a higiene do sono é altamente recomendada por especialistas. A higiene do sono é considerada uma intervenção psicoeducacional de mudança de hábitos não saudáveis, ou seja, trata-se de um conjunto de práticas para um sono saudável. Não é uma receita de bolo, fixa, mas você pode criar a sua melhor rotina com as 10 dicas abaixo.

Esteja atento aos seus novos hábitos e o que funciona para você. Aprenda com você mesmo.

  1. Escolha um horário fixo para dormir e para acordar e tente respeitar e durma apenas o tempo necessário para se sentir descansado.
  2. Use a cama apenas como lugar para dormir. Evite fazer leitura, ver TV ou trabalhar.
  3. Evite tirar qualquer cochilo ao longo do dia. Depois que o sono estiver normal, não há problemas tirar pequenos cochilos (até 45 minutos).
  4. A prática regular de exercícios ajuda a regular o ciclo circadiano. O melhor horário para a prática é pela manhã. Evite praticar até 4 horas antes de dormir.
  5. Evite cafeína ou qualquer tipo de estimulante após às 16h.
  1. Não leve eletrônicos para a cama. A luz brilhante das telas dificulta o sono e mantém o cérebro funcionando como se estivéssemos acordados, atrasando a produção de neurohormônios que regulam o sono, como a melatonina.
  2. Nunca permaneça por períodos longos e frequentes na cama. Somente vá para a cama quando estiver com sono. Não fique na cama sem dormir por mais de 20 minutos. Se sentir dificuldade, levante-se, beba um copo de água, chá, faça uma leitura e retorne novamente.
  3. O ambiente que você dorme precisa ser arejado e não abafado. O ideal é que não esteja quente e sim, um pouquinho frio. Tome um banho morno (ou quente) 60 minutos antes de dormir.
  4. O ideal é que seu ambiente de sono seja o mais escuro possível.
  5. O ideal é que o seu ambiente de sono tenha o menor barulho possível. Você pode usar fones ou protetores auriculares ou até ouvir músicas de meditação.

Referências:
Sociedade Brasileira de Neurologia
Núcleo de Estudos e Pesquisa em Trauma e Estresse (NEPTE-PUCRS)

Texto escrito por: Silvia de Oliveira, psicóloga OrienteMe.

Na OrienteMe, é possível fazer terapia online todos os dias, por meio do smartphone ou computador, de forma anônima, sem ter que marcar horário. Gostaria de ser atendido/a pela Silvia? Clique aqui e em seguida no botão “Atenda Comigo

Mais sobre Saúde Ocupacional

Importância de treinamentos sobre gerenciamento de estresse para equipes

Atuação estratégica do RH pode evitar transtornos mentais relacionados ao trabalho

Doenças mentais incapacitantes para o trabalho

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​