Ansiedade frente à pandemia

ansiedade frente à pandemia

Todos os dias, recebemos uma enorme quantidade de informações e notícias sobre a ameaça contínua da pandemia do coronavírus. O medo da doença ou da morte e a perda da sensação de segurança pessoal podem invocar sentimentos de ansiedade.

A pandemia causou tensão mental em muitas pessoas em todo o mundo. E para aqueles que vivem com ansiedade e depressão, o impacto é severo. Os eventos negativos da vida são o gatilho número um que causa recaídas ou agravamento dos sintomas de ansiedade e depressão.

De acordo com um relatório da GoodRx, o uso de medicamentos para depressão e ansiedade atingiu o pico histórico em 2020.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, a ansiedade é o transtorno mais presente durante a pandemia de Covid-19 e foi encontrada em 86,5% dos respondentes. Os dados servem para chamar a atenção para o fato de que o COVID-19 não ataca só o pulmão e a respiração, tendo também sequelas emocionais. 

Em tempos de crise, o autocuidado costuma ser difícil de se manter. Como muitos de nós estamos ocupados evitando que o fogo em nossas vidas se espalhe, geralmente estamos muito cansados para praticar uma alimentação consciente, exercícios ou outras atividades de lazer/relaxamento.

Durante essas fases que costumam provocar ansiedade, é importante lembrar as estratégias de prevenção e redução de ansiedade testadas e comprovadas. Durma adequadamente, exercite-se regularmente, pratique meditação, aprecie a natureza e empregue técnicas de relaxamento quando estiver estressado.

Priorizar esses comportamentos durante a crise do coronavírus pode ajudar bastante a aumentar seu bem-estar psicológico e a reforçar o seu sistema imunológico.

Não surpreendentemente, um dos fatores mais fortemente associados ao agravamento dos sintomas de ansiedade são as ordens para ficar em casa.

Pessoas com ansiedade frequentemente lutam contra a solidão, especialmente as populações mais velhas. Não poder ver a família ou amigos devido ao COVID-19 pode exacerbar a tristeza associada à solidão. A quarentena, seja ela auto imposta ou determinada pelo governo, também pode resultar no isolamento dos sistemas de apoio, e muitas vezes ao abandono do tratamento de saúde mental (como terapia, por exemplo) .

Os impactos não tratados da ansiedade aumentam ao longo do tempo, causando efeitos físicos, comportamentais e emocionais na saúde . Alguns desses efeitos incluem isolamento social extremo, tristeza profunda, angústia e ganho de peso em excesso.

Existem algumas coisas simples, mas cientificamente eficazes, que você pode fazer para controlar melhor o estresse e a ansiedade durante a pandemia de COVID-19.

Procure fazer uma atividade auto calmante por dia, como tomar um longo banho, beber uma xícara de chá com calma , tirar uma soneca ou praticar respiração profunda durante 5 minutos.

Quando se trata de exercícios, vale lembrar que mesmo uma pequena quantidade de exercícios libera substâncias químicas no cérebro que melhoram automaticamente o humor.

O exercício regular pode ser benéfico para a sua saúde mental, mesmo que seja algo tão simples como caminhar todos os dias ou tirar 5 minutos para se alongar ou fazer algumas posturas de ioga. Hobbies como jardinagem também podem contar como reconheça que é normal ter ansiedade antecipatória, mas estabeleça períodos de tempo durante os quais você se permite preocupar-se.

É comum se preocupar com o pior que pode acontecer, mas, além disso, permita-se pensar também em cenários mais prováveis, como sintomas leves e desconfortáveis, em vez de fatais.

Reserve 10 a 15 minutos por dia para se preocupar com o vírus. Verbalizar ou anotar seus sentimentos pode ser uma forma de externalizar sentimentos de ansiedade. Quando esse período de tempo terminar, você pode continuar o resto do dia sem essas preocupações. Se esses pensamentos de preocupação ocorrerem novamente, em vez de suprimi-los, permita que o façam, mas lembre-se de que amanhã haverá tempo para se dedicar a isso.

Lembre-se de que você está bem e encontre maneiras de se conectar com as coisas que está fazendo no presente. Preste mais atenção no gosto da comida que você está comendo ou na sensação dos seus dedos ao digitar no teclado ou no telefone. Sinta como o ar exalado faz cócegas em seu nariz.

Se você também está sofrendo com ansiedade e os sintomas estão interferindo diretamente no seu dia-a-dia , busque ajuda profissional. Nós estamos aqui para te ajudar.

Texto escrito por: Leticia Capuruço, psicóloga OrienteMe

Deseja falar com uma psicóloga? Na OrienteMe, é possível falar com especialistas todos os dias, por meio do smartphone ou computador, de forma anônima, sem ter que marcar horário. Gostaria de ser atendido/a pela Leticia? Clique aqui e em seguida no botão “Atenda Comigo”.

Gostou do artigo, compartilhe com a rede!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Você também pode gostar

ORIENTEME NA SUA EMPRESA!

Deseja mapear a saúde emocional da sua empresa, oferecer atendimento psicológico aos colaboradores e acompanhar a evolução da saúde emocional das equipes? Solicite um orçamento no botão abaixo e entraremos em contato o quanto antes.

Deseja solicitar um orçamento para sua empresa?

ORIENTEME PARA VOCÊ!

Deseja falar com seu psicólogo por mensagens e videochamadas, quando e onde quiser?

Conheça mais os nossos planos!

INDIQUE A ORIENTEME PARA SUA EMPRESA!