Qualidade de vida no trabalho

CID de transtornos mentais: conheça cada um 

Raquel Almeida -

Explore e conheça cada um dos códigos CID para transtornos mentais, entendendo melhor essas condições e facilitando o acesso a tratamentos adequados

Em um mundo em constante movimento, é crucial entender que a saúde mental é tão importante quanto a saúde física. Os transtornos mentais afetam milhões de pessoas em todo o mundo, impactando suas vidas pessoais, profissionais e sociais. 

Neste artigo, conheceremos os diferentes transtornos mentais catalogados pela Classificação Internacional de Doenças (CID), fornecendo uma visão abrangente de cada um e destacando sua importância para a sociedade.

O que é a Classificação Internacional de Doenças (CID)?

A Classificação Internacional de Doenças (CID) é um sistema globalmente reconhecido para codificação e categorização de doenças e outros problemas de saúde. Mantida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), sua função principal é estabelecer uma linguagem comum para descrever e analisar condições de saúde em todo o mundo.

Isso facilita a comparação de dados epidemiológicos e o monitoramento de tendências globais de saúde. Profissionais de saúde, pesquisadores, formuladores de políticas e autoridades de saúde pública confiam na CID para classificar e registrar diagnósticos médicos, o que é essencial para a organização e gestão eficazes dos sistemas de saúde.

A CID é periodicamente revisada para refletir os avanços na compreensão médica e científica das doenças, garantindo assim sua relevância contínua e precisão na classificação das condições de saúde.

A importância da compreensão dos transtornos mentais

Antes de mergulharmos nos detalhes de cada transtorno mental, é essencial compreender por que essa discussão é tão crucial. Ainda existe um estigma significativo em torno das doenças mentais, o que muitas vezes leva à falta de compreensão e apoio para aqueles que as enfrentam.

Ao entendermos melhor esses transtornos, podemos quebrar estereótipos, promover a saúde mental e empatia, garantindo que as pessoas afetadas recebam o suporte necessário.

Os desafios do diagnóstico

Diagnóstico e tratamento adequados são fundamentais para lidar com os transtornos mentais de forma eficaz. No entanto, enfrentamos desafios significativos nesse processo. 

Muitos transtornos têm sintomas sobrepostos ou podem ser mal interpretados, o que dificulta a identificação precisa. Além disso, o estigma em torno da saúde mental muitas vezes leva as pessoas a evitar procurar ajuda profissional, atrasando o diagnóstico e o tratamento.

Conhecendo os principais transtornos mentais

Conhecer os principais transtornos mentais, classificados na seção “CID F”, é uma jornada complexa e essencial para compreendermos a diversidade e a profundidade dos desafios enfrentados por muitas pessoas em todo o mundo. 

Desde a ansiedade e a depressão até os transtornos psicóticos e de personalidade, cada condição possui suas próprias nuances e impactos individuais. Conheça algumas: 

Depressão (F32-F33)

A depressão é um dos transtornos mentais mais comuns e debilitantes em todo o mundo. Caracteriza-se por uma sensação persistente de tristeza, perda de interesse ou prazer, falta de energia e dificuldade de concentração. Pode afetar drasticamente o funcionamento diário e a qualidade de vida de um indivíduo.

Transtorno de ansiedade (F41)

A ansiedade é uma resposta natural do corpo ao estresse, mas quando se torna excessiva e persistente, pode evoluir para um transtorno de ansiedade. Este transtorno é marcado por preocupações intensas e irracionais, acompanhadas por sintomas físicos como palpitações, sudorese e tremores.

Transtorno bipolar (F31)

O transtorno bipolar é caracterizado por mudanças extremas de humor, que variam entre episódios de mania e depressão. Durante os episódios de mania, o indivíduo pode sentir-se eufórico, hiperativo e impulsivo, enquanto os episódios depressivos são marcados por sentimentos de tristeza profunda e desesperança.

Esquizofrenia (F20)

A esquizofrenia é um transtorno mental grave que afeta a forma como uma pessoa pensa, sente e se comporta. Os sintomas incluem alucinações, delírios, pensamento desorganizado e dificuldade de concentração. É importante notar que a esquizofrenia não está relacionada à personalidade múltipla, como muitas vezes é retratada na mídia.

Transtorno obsessivo-compulsivo (F42)

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é caracterizado por pensamentos intrusivos e indesejados, conhecidos como obsessões, que levam a comportamentos repetitivos e ritualísticos, chamados compulsões. Esses comportamentos são realizados para aliviar a ansiedade causada pelas obsessões, mas geralmente trazem pouco ou nenhum alívio duradouro.

Impacto dos transtornos mentais no trabalho

Os transtornos mentais não afetam apenas a vida pessoal dos indivíduos, mas também têm um impacto significativo em sua vida profissional. Problemas de saúde mental, como depressão e ansiedade, são uma das principais causas de absenteísmo e redução da produtividade no local de trabalho. 

Abordando a saúde mental no trabalho

A psicologia organizacional desempenha um papel crucial na promoção da saúde mental no local de trabalho, pois os transtornos mentais podem impactar negativamente a dinâmica interpessoal e a cultura organizacional da empresa. 

Funcionários que sofrem de problemas de saúde mental podem enfrentar dificuldades em se concentrar, tomar decisões ou se comunicar efetivamente com colegas e superiores, o que pode resultar em conflitos no local de trabalho e estresse crônico, levando à diminuição da satisfação no trabalho e ao aumento do esgotamento profissional.

Para abordar essas questões, muitas empresas estão implementando políticas e programas voltados para a promoção da saúde mental no local de trabalho.

Isso pode incluir a disponibilização de recursos como serviços de aconselhamento, sessões de mindfulness e programas de incentivo à prática de exercícios físicos, juntamente com flexibilidade no horário de trabalho para permitir que os funcionários cuidem de sua saúde mental. 

Além disso, treinamentos de sensibilização e combate ao estigma são fundamentais para criar um ambiente onde os funcionários se sintam confortáveis em falar abertamente sobre suas dificuldades e buscar ajuda sem medo de represálias.

Importância de uma liderança empática

A adoção de práticas de liderança empática e inclusiva também desempenha um papel crucial na promoção da saúde mental no trabalho. Gestores que demonstram compreensão e apoio aos funcionários que enfrentam desafios de saúde mental podem ajudar a criar uma cultura de aceitação e apoio mútuo. 

Dessa forma, é importante que as empresas incentivem a utilização de políticas de licença por motivos de saúde mental e ofereçam programas corporativos para o tratamento.  

Essas medidas beneficiam individualmente os colaboradores e promovem um ambiente de trabalho mais saudável, produtivo e resiliente como um todo.

Mais sobre Saúde Ocupacional

Importância de treinamentos sobre gerenciamento de estresse para equipes

Atuação estratégica do RH pode evitar transtornos mentais relacionados ao trabalho

Doenças mentais incapacitantes para o trabalho

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​