Meditação e Mindfulness

mindfulness e meditação

Você sabe o que é, e para que serve a meditação? A meditação é uma prática bastante conhecida que trabalha a regulação entre mente e corpo, se utilizando de técnicas que trabalham a atenção, e pode ser definida como uma forma de treinamento mental sem elaboração de conteúdos mentais. Essa prática pode ser utilizada como recurso terapêutico, produzindo efeitos bastante significativos em nosso dia-a-dia, ocasionando diversos benefícios.

O ato de meditar pode proporcionar a sensação de bem-estar, e, além de ser algo muito prazeroso, te ajuda a desenvolver e fortalecer o foco, auxiliando no direcionamento da atenção para si mesmo, e proporcionando um melhor reconhecimento, e identificação de alguns padrões mentais disfuncionais.

 Estudos apontam que a prática da meditação influencia de forma muito satisfatória na baixa de sintomas ligados a ansiedade e ao estresse, podendo, inclusive, acarretar resultados de longa duração, trazendo mudanças positivas em relação às nossas funções cognitivas e afetivas.

 Um dos muitos aspectos positivos da meditação é que, perante o exercício da concentração, você fica menos disperso em pensamentos automáticos. Portanto, quanto mais centralizado você estiver, haverá uma menor incidência de pensamentos disfuncionais, que geram as perturbações. Dessa forma, você se torna menos vulnerável a desequilíbrios emocionais. 

Algumas práticas da meditação se assemelham a processos ligados a terapia cognitiva, como por exemplo:

  •  Visam ajudar na redução de pensamentos recorrentes;
  •  Buscam uma reorientação cognitiva;
  •  Ajudam a desenvolver habilidades para lidar com pensamentos automáticos.

Embora algumas práticas se assemelhem, algumas coisas diferem. Por exemplo, durante a meditação os pensamentos não são confrontados, apenas observados de forma que esses pensamentos repetitivos não influenciem nos seus comportamentos.

 São diversas as técnicas meditativas, e todas objetivam o controle da atenção. As duas técnicas básicas mais conhecidas são as CONCENTRATIVAS E MINDFULNESS, ou atenção plena.

TÉCNICAS CONCENTRATIVAS:

Sabemos que é bastante difícil manter a concentração na atualidade, já que somos expostos a muitos estímulos de forma simultânea. As técnicas concentrativas, auxiliam na abertura para a busca dessa concentração. O foco é direcionado a um único objeto, sendo ele interno ou externo. Nesse caso, podem ser observados aspectos sensoriais, como a nossa respiração (o ambiente é ignorado e a atenção é direcionada para o ato de respirar), ou aspectos mentais, como a nossa própria consciência.

MINDFULNESS ou atenção plena:

 Atualmente vivemos grande parte do nosso tempo preocupados ou tendo vários pensamentos ao mesmo tempo, o que contribui bastante com o estresse e a ansiedade. Dificilmente fazemos as coisas do nosso dia-a-dia realmente prestando atenção naquela tarefa; por exemplo, ao fazer uma caminhada, muitas vezes ficamos dispersos, prestando atenção não aos estímulos observáveis oferecidos pelo ambiente, mas em várias outras coisas, tudo ao mesmo tempo.

Com o exercício Mindfulness, ou simplesmente atenção plena, busca-se considerar a percepção de todos os estímulos, externos ou internos, que podemos citar como os pensamentos, as sensações e os sentimentos que temos em contato com o mundo ao nosso redor. Durante a prática de meditação com a técnica Mindfulness, a pessoa foca no aqui e agora, observando e absorvendo o que se passa ao seu redor, sobretudo o que se passa pela sua cabeça, no entanto sem julgamentos e análises.

Um dos fatores negativos da falta de atenção e de consciência é a perda de momentos significativos em nossa vida. Muitas vezes vivemos experiências, mas, não estamos totalmente conscientes daquilo em virtude dos muitos estímulos. Exercitando a atenção plena podemos focar no que estamos vivendo no momento presente, de forma que nossa produtividade em relação aquela tarefa, ou a qualquer ação, seja produtiva e satisfatória, identificando também as nossas sensações e emoções em relação a tais tarefas.

Do mesmo modo que qualquer estratégia comportamental, a meditação exige, de quem a pratica, motivação, perseverança e disciplina. Através dela podemos desenvolver resultados bons e duradouros, que podem causar mudanças relevantes em nossa saúde mental/qualidade de vida, reduzindo sofrimentos psicológicos (causados por ansiedade, estresse, tensão, por ex.), proporcionando relaxamento e colaborando com uma melhor estabilidade mental e emocional.

CURIOSIDADES:

A meditação tem origem das tradições orientais, e está ligada principalmente a filosofia do Yoga e Budismo.

Os estudos mais meticulosos em torno dessa prática se deram a partir dos anos 60, e a partir disso começaram a ser investigados os benefícios expostos através da meditação.

Para algumas pessoas, a arte de meditar está relacionada a uma busca espiritual.

Texto escrito por: Nicole Almeida Ventura

Deseja falar com uma psicóloga sobre concentração, atenção plena, mindfulness e meditação? Na OrienteMe, é possível falar com especialistas todos os dias, por meio do smartphone ou computador, de forma anônima, sem ter que marcar horário. Gostaria de ser atendido/a pela Nicole? Clique aqui e em seguida no botão “Atenda Comigo”.

Gostou do artigo, compartilhe com a rede!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Você também pode gostar

ORIENTEME NA SUA EMPRESA!

Deseja mapear a saúde emocional da sua empresa, oferecer atendimento psicológico aos colaboradores e acompanhar a evolução da saúde emocional das equipes? Solicite um orçamento no botão abaixo e entraremos em contato o quanto antes.

Deseja solicitar um orçamento para sua empresa?

ORIENTEME PARA VOCÊ!

Deseja falar com seu psicólogo por mensagens e videochamadas, quando e onde quiser?

Conheça mais os nossos planos!

INDIQUE A ORIENTEME PARA SUA EMPRESA!