O Coronavírus e a Saúde Emocional

Coronavírus e a saúde emocional

Tempo de leitura: 2 minutos

No bairro, nós pensamos na questão social: “se um pegar, todos irão pegar”. Na escola, pensamos na questão profissional: “se meu filho pegar, como ficará o meu trabalho?”.

Até então mais de 100 dias, até então mais de 100 mil casos no mundo e abundância de informações.

Na televisão, relatam os casos, no jornal só se fala disso. No elevador a conversa é sobre a epidemia e na internet ficamos divididos entre o que é confiável e o que é fake news.

Sabe o que acontece com o nosso organismo quando entramos nesse estado de hipervigilância neurótica? Alterações de humor, coceiras somáticas, complicações de pele e gastrointestinais, sono superficial, irritações a qualquer tipo de estímulo externo, e o mais importante: a queda da imunidade!

Uma pandemia gera medo na população mundial, e a falta de resposta nos deixa com a sensação de falta de solução, sem sabermos o que fazer. Isso gera um aumento na produção de adrenalina que fica retida e começamos a desencadear um estado de distúrbio de sentido, como mencionado acima. Para quem tem sintomas de ansiedade a questão fica ainda mais delicada; reações agudas como pânico, fobia social e TOC podem aparecer.

Isso vai passar, o Coronavírus será controlado e a vacina vai chegar. Porém, até lá precisamos nos organizar, nos cuidar e acreditar nas orientações do governo e dos sistemas de saúde. Os profissionais de saúde estão dando o seu melhor em todas as áreas. O que pode ficar se não tomarmos os devidos cuidados são os danos emocionais, que  podem levar anos para passarem e deixar até algumas sequelas.

Vamos tomar as medidas prescritas pelo Ministério de Saúde; lavar bem as mãos, se alimentar devidamente, evitar aglomerações, mas também é importante cuidar das nossas emoções.

Sentiu-se ansioso, com dificuldade no sono, irritadiço, percebeu que tem sentido mais medo ou perdido o controle sobre si mais facilmente? Procure ajuda, converse com um amigo, faça terapia, aproveite esse período para conhecer e controlar suas próprias emoções.

Não levar a sério nossas emoções pode descontrolar nossa imunidade e, com a imunidade baixa nem o corpo mais saudável que você conhece fica imune!

Texto escrito por: Gabriella Jurno

Deseja falar com uma psicóloga sobre suas expectativas e frustrações? Na OrienteMe, é possível falar com especialistas todos os dias, por meio do smartphone ou computador, de forma anônima, sem ter que marcar horário. Gostaria de ser atendido/a pela Gabriella? Clique aqui e em seguida no botão “Atenda Comigo”.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Continue lendo

E-BOOK GRATUITO

O guia completo para nortear a sua empresa no retorno ao trabalho presencial.

E-BOOK GRATUITO

Como o Feedback pode transformar as relações na sua empresa.
Nós armazenamos dados temporariamente para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse.