Paz conjugal e quarentena: como conciliar?

Vida a dois

Tempo de Leitura: 3 minutos

Já diziam nossos avós: casamento é um trabalho árduo. Todos os que coabitam com seus parceiros sabem como uma boa convivência é um exercício constante de dedicação, companheirismo, compreensão e – acima de tudo – carinho. Não é por menos que quanto mais o tempo passa, mais difícil se torna esse processo.

Para além das dificuldades inerentes a se relacionar, nos dias atuais temos mais uma complicação: a quarentena. Nesse período complicadíssimo no qual vivemos, precisando ficar embaixo do mesmo teto vinte e quatro horas por dia, sete dias na semana com o companheiro, sem a possibilidade nem mesmo de trabalhar fora de casa ou poder espairecer na companhia de amigos e outros familiares, surgem novos problemas conjugais. Várias brigas desnecessárias se iniciam e o que antes parecia tolerável toma proporções catastróficas.

Nesse contexto, meus pacientes todos os dias me questionam: como lidar com a presença constante do meu companheiro ou companheira nessa quarentena?

A resposta para essa questão não é única, entretanto inclui um fator essencial, o qual vai para além do companheirismo, carinho, compreensão e dedicação citadas acima: o respeito a sua própria individualidade. Mas como manter sua individualidade e dividir o mesmo ambiente todo o tempo? Não é fácil, no entanto é possível, desde que você dedique-se a atividades pessoais.

E o que significa isso? Ter um tempo só para você, que seja meia hora no dia. Nesse tempo, diga a seu parceiro quer precisa ficar sozinho, para ele não lhe procurar. Se tiver filhos, peça para que o companheiro fique com eles e controle-os para que eles não te incomodem. Se for possível, vá para outro cômodo. O que fazer nesse tempo, depende do seu gosto. Alguma atividade física, talvez? Existem muitos aplicativos maravilhosos com dicas de exercícios para iniciantes, algumas apenas para relaxamento e aumento de flexibilidade. Ler um livro? Há centenas de e-books gratuitos disponíveis na rede. Ver um episódio de série? Ouvir um podcast? Olhar suas redes sociais? Você decide. A internet está lotada de possibilidades.

No entanto, se quer uma recomendação pessoal, nada melhor para esvaziar a cabeça quer a meditação: feche a porta, coloque fones de ouvido, ponha para tocar uma música calma a qual você goste ou uma soundtrack instrumental apenas para cancelar o ruído ao seu redor, feche os olhos e respire. Conte sua respiração, 15 segundos inspirando, 15 segundos expirando. Deixe sua mente vagar, quando perceber, você estará muito mais calmo, muito mais relaxado e pronto para continuar seu dia, com menores chances de explodir. Pode ter certeza, seu relacionamento agradecerá, assim como seu próprio corpo e mente.

Para além disso, não se esqueça que nós da OrienteMe estamos sempre aqui para acolhê-lo. Se precisar de um apoio a mais, nos procure! Você sempre será bem-vindo! 

 

Texto escrito por: Michelle Stephane Martins

Deseja falar com uma psicóloga sobre suas expectativas e frustrações? Na OrienteMe, é possível falar com especialistas todos os dias, por meio do smartphone ou computador, de forma anônima, sem ter que marcar horário. Gostaria de ser atendido/a pela Michelle? Clique aqui e em seguida no botão “Atenda Comigo”.

Gostou do artigo, compartilhe com a rede!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Você também pode gostar

ORIENTEME NA SUA EMPRESA!

Deseja mapear a saúde emocional da sua empresa, oferecer atendimento psicológico aos colaboradores e acompanhar a evolução da saúde emocional das equipes? Solicite um orçamento no botão abaixo e entraremos em contato o quanto antes.

Deseja solicitar um orçamento para sua empresa?

ORIENTEME PARA VOCÊ!

Deseja falar com seu psicólogo por mensagens e videochamadas, quando e onde quiser?

Conheça mais os nossos planos!

INDIQUE A ORIENTEME PARA SUA EMPRESA!