Qualidade de vida no trabalho

Protocolos para lidar com depressão no ambiente corporativo

Daniela Haidar Chohfi -

Muito tem se falado sobre como prevenir os problemas relacionados à saúde mental no ambiente profissional e sobre as causas de transtornos mentais no trabalho, entretanto, poucas empresas têm um protocolo de ação para quando há, de fato, um colaborador que esteja sofrendo com alguma doença.

A depressão é uma das comorbidades que mais acometem trabalhadores no mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) fez um alerta para o fato de que, até 2030, ela pode ser a doença mais comum do mundo. 

Por isso, cada vez mais, as empresas têm buscado investir no bem estar dos funcionários, promovendo a valorização dos profissionais e entendendo o cenário para, daí, tomar a melhor decisão, principalmente em casos de afastamento. 

Como identificar um funcionário com depressão?

As empresas cada vez mais têm buscado formas de proporcionar um ambiente de trabalho acolhedor e humanizado, disponibilizando ferramentas para proteção da saúde mental, não só para diminuir os índices de absenteísmo, mas porque essas atitudes demonstram uma preocupação genuína com o time.  

Saber identificar quando um colaborador está com depressão e oferecer o suporte necessário para que ele lide com a doença e siga o tratamento é o pilar inicial das empresas que investem na saúde emocional dos funcionários. 

Para isso, o diálogo entre os times e promover treinamentos para capacitação de gestores, pode ajudar a identificar mudanças comportamentais em suas equipes. Também é importante uma relação estreita entre os líderes e o RH para um melhor acompanhamento da demanda e evolução dos indicadores da saúde emocional por área. Incentivar rodas de conversas, promover feedbacks constantes e fazer pesquisas de clima podem trazer indicadores que mostrem qualidade de vida dos funcionários e podem ajudar na identificação de casos de depressão no trabalho.

Outro fator que pode indicar transtornos de saúde mental em colaboradores é a queda de produtividade. Se há uma queda brusca, ou uma mudança repentina, é preciso acender a luz amarela.

Se um caso for identificado, o primeiro passo é acolher esse colaborador, mostrando que a empresa está do lado dele. Ofereça a possibilidade de flexibilização de rotina ou de afastamento, dependendo da gravidade do caso, e, principalmente, não exponha o funcionário para os outros colaboradores.

Além desse acolhimento inicial, muitas empresas têm investido em plataformas de terapia online como benefício. A terapia online é uma forma segura de oferecer tratamento para que o colaborador comece o seu acompanhamento psicológico sem se preocupar, pois o atendimento é feito de forma sigilosa, com psicólogos selecionados de acordo com o seu perfil. 

No caso da plataforma OrienteMe, além da terapia online como ferramenta de apoio ao colaborador, ela também oferece uma série de outros benefícios, como exercícios  de meditação e respiração, fundamentais para dar equilíbrio à rotina de pressão e estresse, e ao RH oferece o mapeamento da saúde emocional da empresa com  acesso aos principais indicadores para que os gestores do benefício avaliem a saúde emocional do time e acompanhem a  evolução ao longo do tempo.

Porém, lembre-se: o funcionário sentir que pode se abrir e compartilhar suas vulnerabilidades é o passo mais importante para lidar com casos de depressão no trabalho. E oferecer ferramentas para que o tratamento seja tranquilo e eficaz é a maneira mais eficiente para que ele volte a ter saúde e a desempenhar o seu papel enquanto profissional.  

Mais sobre Saúde Ocupacional

Importância de treinamentos sobre gerenciamento de estresse para equipes

Atuação estratégica do RH pode evitar transtornos mentais relacionados ao trabalho

Doenças mentais incapacitantes para o trabalho

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​