Como preparar seus líderes para apoiar colaboradores com Burnout

Excesso de trabalho, insegurança, isolamento, sobrecarga mental… tudo isso foi elevado à potência máxima com a chegada da Covid-19. De repente, as pessoas se viram em quarentena, trabalhando, se divertindo e vivendo todos os momentos dentro de casa. Além disso, a falta de estrutura das empresas para fazer essa adaptação para o home office trouxe muitas inseguranças e a relação entre o trabalho e a saúde mental ficou cada vez mais próxima – e perigosa. 

Uma pesquisa realizada pela Microsoft, em parceria com a empresa de análises Harrys, afirma que 44% dos entrevistados disseram que a pandemia aumentou o sentimento de exaustão em relação ao trabalho. Além disso, a busca pelo termo burnout aumentou 50% no Google em 2020, reforçando que a qualidade de vida no trabalho foi prejudicada pela crise do Coronavírus. 

O papel do chefe na relação entre trabalho e saúde mental

O burnout é um problema emocional cada vez mais frequente entre os profissionais e a forma como a empresa e, principalmente, os gestores lidam com esse diagnóstico é fundamental para apoiar o colaborador neste momento tão delicado. Entretanto, nem todo líder leva esse diagnóstico a sério e isso pode trazer consequências negativas para quem sofre com a doença. 

Em tempos em que a incerteza sobre o futuro ainda paira sobre todos e o distanciamento social tornou as relações mais frias, o departamento de RH deve instruir seus líderes e treiná-los para agirem de forma mais empática, tanto para evitar o burnout quando para lidar com a questão. 

E como fazer isso? O primeiro passo é incentivar o diálogo e fazer com que o gestor mantenha um canal aberto com a sua equipe. Incentivar a comunicação é fundamental para evitar o burnout. Além disso, é importante promover ações de pertencimento para que o colaborador veja propósito no seu trabalho e se sinta emocionalmente melhor. 
Agora, se os funcionários já estão apresentando algum sintoma relacionado ao burnout, o líder deve mostrar empatia e cuidado com esse momento, respeitando os limites do colaborador e propondo melhorias para ajudá-lo, como diminuição de responsabilidades, feedbacks constantes e reuniões esporádicas para falar sobre o clima do trabalho. Outro fator que pode ajudar é um programa de bem-estar concedido pela empresa que contemple a terapia como benefício.

A consulta com um psicólogo online traz mais facilidade para que a pessoa se abra sobre os problemas que vem enfrentando e é fundamental para o tratamento. E o apoio dos gestores e diretores nessa busca por ajuda é o primeiro passo para transformar a saúde mental das equipes.

Gostou do artigo, compartilhe com a rede!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Você também pode gostar

ORIENTEME NA SUA EMPRESA!

Deseja mapear a saúde emocional da sua empresa, oferecer atendimento psicológico aos colaboradores e acompanhar a evolução da saúde emocional das equipes? Solicite um orçamento no botão abaixo e entraremos em contato o quanto antes.

Deseja solicitar um orçamento para sua empresa?

ORIENTEME PARA VOCÊ!

Deseja falar com seu psicólogo por mensagens e videochamadas, quando e onde quiser?

Conheça mais os nossos planos!

INDIQUE A ORIENTEME PARA SUA EMPRESA!