Home > Blog > 5 dicas de como desenvolver uma boa comunicação interpessoal

5 dicas de como desenvolver uma boa comunicação interpessoal

boa comunicação

A boa comunicação é uma das habilidades comportamentais mais importantes em diversos ambientes que vivemos: familiar, educacional e corporativo. Logo, desenvolver essa competência pode proporcionar muitos benefícios.

Dada a sua importância, elaboramos este conteúdo completo sobre o assunto! A seguir, você irá entender o que é uma boa comunicação, qual a sua importância, quais as suas características e 5 dicas para desenvolvê-la:

  • ouça com atenção e empatia;
  • observe a comunicação não verbal;
  • leve em consideração o perfil da pessoa;
  • prefira perguntas ao invés de suposições;
  • aceite e supere a vulnerabilidade.

Boa leitura!

O que é uma boa comunicação?

Definimos como uma boa comunicação o processo de transmissão de informações de forma clara, objetiva e precisa, onde uma pessoa é compreendida pelas demais. Para desenvolver a comunicação de forma adequada, é fundamental identificar a base dos problemas, que podem ser de ordem psicológica, física ou técnica:

  • psicológica: insegurança, baixa autoestima e preocupação excessiva;
  • física: voz baixa ou alta, dificuldades de dicção e nasalização;
  • técnica: vícios de linguagem, vocabulário limitado e desorganização de ideias.

Vale destacar que alguns dos problemas estão ligados diretamente aos diferentes perfis de personalidade. Algumas pessoas são mais extrovertidas, outras mais reservadas; algumas falam abertamente o que pensam, enquanto outras guardam para si.

A personalidade de cada pessoa impacta de maneira direta na forma de se comunicar. Isso é natural e não constitui exatamente um problema. Entretanto, para se expressar com precisão, talvez seja preciso rever alguns hábitos reforçados pelas suas individualidades.

Qual a importância de ter uma boa comunicação?

A comunicação permeia todas as esferas da vida de uma pessoa, desde a pessoal até a profissional. Essa é a principal forma de transmitir mensagens a outros indivíduos.

Uma vez que a pessoa recebe a mensagem e pode interpretá-la de inúmeras maneiras, o ideal é que se desenvolva diálogos assertivos. Assim, será possível compartilhar ideias de forma compreensível, sem ambiguidades.

Isso pode te proporcionar diversos benefícios, pois é algo que contribui para a melhora de todos os seus relacionamentos interpessoais. Por exemplo, no trabalho, será possível dar feedbacks mais objetivos e certeiros, sem causar reações negativas.

Leia também: Segurança psicológica: o que é, importância e como aplicar

Quais as características de uma boa comunicação?

Pessoas que se comunicam bem possuem algumas semelhanças na maneira de compartilhar as informações. Abaixo, listamos essas características comuns:

  • escuta ativa;
  • objetividade;
  • comunicação não verbal;
  • controle de estresse;
  • inteligência emocional.

Escuta ativa

A escuta ativa consiste em prestar atenção total ao que outra pessoa está falando, contudo, vai além. A ideia por trás desse conceito é que haja uma interpretação não só da fala, mas da comunicação não verbal, como tom da voz, gestos e emoções.

Essa escuta plena e completa possibilita entender a mensagem transmitida pelo indivíduo da maneira mais precisa possível. Isso contribui para a geração de confiança, facilita a prática da empatia e, por consequência, resulta em uma boa comunicação interpessoal.

Objetividade

Falas objetivas podem ser as melhores aliadas da transparência e compreensão quando se trata de comunicação interpessoal, especialmente em ambientes de trabalho.

Trabalhar a objetividade significa transmitir mensagens que vão direto ao ponto, de forma clara e amigável. Dependendo da situação, adicionar muitos detalhes à mensagem pode causar ruído e confusão na conversa.

Comunicação não verbal

A comunicação não verbal compreende quaisquer formas de expressão que não utilizam a fala, como expressões faciais, gestos corporais, tom de voz, ritmo de respiração, entre outras.

Todos esses fatores contribuem com a maneira que a mensagem é transmitida e interpretada. Por exemplo, um tom de voz grave e firme pode indicar repreensão e irritação, certo? Então, em uma conversa amigável e tranquila, obviamente deve ser evitado.

Entender como cada ato não verbal afeta a comunicação — e aprender a controlá-los — é uma das principais dicas para se comunicar melhor.

Controle de estresse

É muito comum que acumulemos estresse durante a rotina diária. Mesmo dias sem conflitos são capazes de gerar estresse devido à quantidade de tarefas que realizamos e à quantidade de informações que somos expostos.

Sendo assim, é natural que algumas mensagens sejam transmitidas de maneira rude mesmo em dias considerados “tranquilos”, o que pode afetar de maneira muito negativa a comunicação.

Diante disso, desenvolver a habilidade de gerenciar o estresse pode ser uma ótima maneira de evitar conflitos, atritos e até mesmo arrependimentos.

Inteligência emocional

A inteligência emocional representa a capacidade de administrar emoções. De certa forma, o controle de estresse mencionado no tópico anterior também faz parte deste conceito.

Essa prática está diretamente relacionada ao autoconhecimento e ao autocontrole.
Se conhecer melhor é uma ótima forma de melhorar sua comunicação — existem alguns testes de autoconhecimento como o MBTI e o Eneagrama que certamente podem de ajudar com isso.
É preciso entender quais são suas próprias reações diante determinadas situações para que, assim, possa aprender a controlá-las.

Importante destacar que isso não significa reprimir emoções. O objetivo é adquirir a capacidade de expressá-las de uma maneira que fiquem claras durante a comunicação e, ao mesmo tempo, não a comprometa.

Você sabe qual o custo da saúde
emocional para sua empresa?

Como desenvolver uma boa comunicação?

Inicialmente é importante fazer uma análise sobre as possíveis causas de seus problemas. Após descobrir quais são as suas dificuldades, é possível investir em um desenvolvimento mais focado e assertivo.

Outra iniciativa interessante é buscar auxílio de um profissionais especializados, como psicólogos e fonoaudiólogos. A boa notícia é que todos podem desenvolver essa habilidade comportamental.

Ao apresentarmos as características de uma boa comunicação, já demos várias dicas relevantes de como desenvolvê-la. No entanto, separamos mais alguns conselhos práticos a seguir:

1. Ouça com atenção e empatia

Como já dissemos, ouvir com atenção e empatia são fatores essenciais para a prática de uma escuta ativa. Então, procure usar todos os seus sentidos para interpretar a mensagem que a pessoa está compartilhando.

Tenha foco à fala, mas se atente às perspectivas e às emoções que estão sendo transmitidas em conjunto com o discurso. Dessa forma, além de demonstrar que você está realmente interessado no diálogo, é possível entender com maior precisão as ideias e os sentimentos compartilhados.

2. Observe a comunicação não verbal

Essa é uma dica que vale para as duas partes envolvidas na conversa: você e a outra pessoa. Atente-se à comunicação não verbal do outro indivíduo, mas, ao mesmo tempo, busque controlar a sua para transmitir a mensagem desejada.

3. Leve em consideração o perfil da pessoa

Adequar seu discurso de acordo com o perfil da pessoa é algo que pode contribuir de maneira benéfica em qualquer diálogo. No entanto, é especialmente importante em ambientes de trabalho.

Imagine que seja preciso conversar com uma pessoa de outro departamento e você use diversos jargões técnicos. A probabilidade de se ter gerado uma série de dúvidas e confusões é bem grande, não é mesmo?

Por isso, sempre reflita sobre qual é a maneira mais adequada de comunicar algo àquela pessoa específica com a qual você está conversando. 

Isso vale tanto em questão de conhecimentos técnicos quanto em diferentes maneiras de lidar com sentimentos — por exemplo, uma pessoa pode ser mais sensível e se ofender com algo que é “normal” para você.

Confira também: O que é saúde mental no trabalho? Como promovê-la na empresa?

4. Prefira perguntas ao invés de suposições

Fazer suposições é a maneira mais eficiente de causar conflitos e confusões. Caso alguma parte da fala do indivíduo não tenha sido precisa o suficiente, pergunte-lhe o que queria dizer.

Evite supor que algo foi dito, porque existe a probabilidade de você ter interpretado errado. Isso é capaz de gerar desconforto durante a conversa e pode ser o início do repasse de informações incorretas ou equivocadas.

5. Aceite e supere a vulnerabilidade

Vulnerabilidade é um dos sentimentos que nos “atinge” quando estamos frente a situações de exposição, risco e incerteza. Isso é algo que pode acontecer em diálogos, uma vez que não é possível antever todas as possíveis reações e falas das pessoas.

Diante desse cenário, a vulnerabilidade é potencializada pelo medo da imperfeição, ou seja, pelo receio de cometer algum erro. Porém, essa sensação é totalmente natural, por isso aceitá-la e superá-la pode ser a melhor maneira de lidar.

A partir da aceitação, é possível tirar o foco da insegurança e direcioná-lo ao empenho de se praticar uma boa comunicação.

A OrienteMe pode ajudar sua empresa a desenvolver uma boa comunicação!

A OrienteMe é uma plataforma que conecta pessoas a uma vida mais saudável por meio de psicoterapia e orientação nutricional online. E nossas soluções podem ser oferecidas como benefício para os colaboradores de uma organização.

Assim, os funcionários podem desenvolver suas habilidades de comunicação com acompanhamento profissional. Além disso, podem tratar sobre outros temas na consulta psicológica, algo que é capaz de melhorar a qualidade de vida no trabalho.

Outro benefício é que a equipe de RH ganha acesso ao Portal Corporativo OrienteMe, onde é possível visualizar uma série de indicadores sobre a população da empresa, como evolução dos níveis emocionais (estresse, ansiedade e depressão), principais temas tratados e muito mais!

Interessou-se? Entre em contato com um de nossos especialistas para entender melhor como podemos ajudar o seu negócio!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Mantenha-se informado, e tenha os melhores conteúdos
para seu desenvolvimento diretamente no seu email.

Não se preocupe, prometemos não mandar spam

E-BOOK GRATUITO

Como o Feedback pode transformar as relações na sua empresa.
Nós armazenamos dados temporariamente para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse.