Qualidade de vida no trabalho

Saiba o que é o Feedback positivo, exemplos de como fazer e 5 técnicas para aplicar

Daniela Haidar Chohfi -

Existem diversos tipos de feedback, mas com certeza o feedback positivo é um dos mais populares entre as empresas. Saiba aqui 5 técnicas para aplicar!

O feedback positivo, apesar de ser uma ferramenta muito útil, possue técnicas e práticas que ajudam a ser ainda mais eficiente no dia a dia das organizações.

Por isso, neste artigo reunimos um guia completo sobre como você pode fazer um feedback positivo, os principais exemplos e cinco dicas para aplicar.

O que é feedback positivo?

O feedback, em geral, é o retorno que uma pessoa dá a outra sobre uma atividade e ação realizada por ela. No caso do feedback positivo, como o nome revela, é uma ferramenta para elogiar, destacar um trabalho bem feito ou uma ação a ser comemorada.

Afinal, quem não gosta de ser reconhecido por desempenhar bem suas tarefas?

Assim, esse recurso é uma maneira de ajudar a direcionar os profissionais, estimular condutas e colaborar com bons resultados, além de fortalecer boas relações interpessoais.

Também é possível mostrar ao time que eles estão dentro do esperado pela empresa ou se excederam as expectativas.

Então, é muito comum ter esse tipo de troca entre líder e liderado, ou partindo dos profissionais de psicologia organizacional

Entretanto, os feedbacks podem ser usados por todos em uma organização (e fora dela). Até porque são ótimas ferramentas de motivação e, se feitos corretamente, dão uma visão transparente sobre as ações realizadas.

Quais os tipos de feedback?

No dia a dia corporativo é comum confundir os tipos de feedback, principalmente quando não há muito costume de estudar o assunto. Porém, com prática, fica mais fácil diferenciá-los e aplicar cada um na rotina. 

Para você entender mais, trouxemos os 4 principais tipos, que são:

  • Feedback positivo;
  • Feedback construtivo;
  • Feedback corretivo;
  • Feedback negativo.

Feedback positivo

Como você viu, esse tipo de feedback é feito para elogiar, ressaltar ou comemorar um bom trabalho ou uma ação específica.

Feedback construtivo

Esse tipo de retorno se aproxima muito do positivo. A diferença aqui é que nele também se apontam maneiras de a pessoa continuar evoluindo ou tendo bons resultados.

Ou seja, além de pontuar a ação positiva, é feita uma sugestão de caminhos, ferramentas ou técnicas que podem potencializar ainda mais os resultados da pessoa e ajudá-la a crescer.

Feedback corretivo

Como o próprio nome dá a entender, o feedback corretivo tem o objetivo de reparar e aconselhar sobre uma ação que não foi boa.

Para ser efetivo, é ideal que ele aconteça o quanto antes. Por exemplo, vamos supor que um colaborador se portou de maneira inadequada em uma reunião.

Nesse caso, o feedback corretivo pode ser usado para explicar qual foi esse comportamento do colaborador, por que ele está errado e como ele pode corrigir isso para que não aconteça novamente no futuro.

Feedback negativo

Esse tipo de feedback acontece quando existe alguma ação inadequada ou o trabalho não está sendo feito como o esperado.

Nesses casos, pode-se fazer uso do feedback negativo com cautela e respeito, apontando os pontos ruins, suas consequências e por que aquele comportamento não pode se repetir.

Ainda, é importante não confundir esse tipo de feedback com uma crítica, já que deve ser baseado em argumentos e fatos.

Leia também: O que é CIPA: entenda qual sua importância, se é obrigatório e como funciona!

Qual a importância do feedback positivo?

Peter Drucker, considerado o “pai da administração”, afirmava que 60% dos problemas nas empresas são causados por uma comunicação ruim. Assim, uma cultura forte de feedbacks (de todos os tipos) é capaz de amenizar essa situação.

Benefícios do feedback

Assim, o feedback é uma maneira de fortalecer, orientar e motivar a equipe. Além disso, outros benefícios que sustentam sua importância nas empresas são:

  • Aumenta o engajamento do time;
  • Estimula novos desafios;
  • Contribui com a performance e o comprometimento;
  • Ajuda a pessoa a evoluir na carreira e na organização;
  • Melhora a comunicação;
  • Colabora com o bem-estar no trabalho.

Exemplos de feedback positivo

Como você viu, o feedback positivo pode agregar em vários aspectos do dia a dia das empresas. 

Assim, existem algumas dicas para aplicar na hora de fazer esses retornos à equipe. Entretanto, alguns exemplos de situações em que o feedback positivo se encaixa se encaixa também são úteis. Alguns deles são:

  • Feedback após acontecimento: por exemplo, uma promoção, que por si só já é um indicativo positivo. Você pode fazer o feedback da seguinte maneira: “Parabéns, [nome da pessoa]. Você apresentou excelentes resultados em [citar a situação] e queremos te reconhecer por isso. O seu trabalho é muito importante para a nossa empresa. Assim, você é a pessoa certa para assumir esse cargo e me sinto muito feliz em contar com você em mais essa etapa;
  • Feedback após atitude: esse é um exemplo que pode acontecer regularmente nas empresas. Uma ideia para ele é: “[nome da pessoa], não deixei de notar a sua [boa atitude, como proatividade] na reunião de hoje. Quero te elogiar por isso, pois é muito benéfico e motivador para toda a nossa equipe”;
  • Feedback por performance: sabe aquele funcionário que excede as expectativas? Encorajá-lo mais ainda com um feedback positivo também é uma ótima opção. Um exemplo é: [nome da pessoa], percebi que você sempre dá o seu melhor em todas as suas atividades, não é à toa que conquistou [tal resultado]. Gostaria de te parabenizar e agradecer por esse comprometimento. Saiba que estou sempre aqui para ajudar a expandir mais ainda esse potencial”.

Para mais exemplos, confira o Ted “O segredo para dar ótimos feedbacks”. Legendas estão disponíveis, caso necessário.

Diferença entre feedback e crítica

Como esclarecemos acima, o feedback é bem diferente da crítica. 

Isso porque, o feedback é baseado em fatos, argumentos e informações que não dependem da opinião e da percepção das pessoas. Portanto, podemos dizer que ele diz respeito ao resultado de algo.

Já a crítica se baseia muito em uma percepção. Nesse caso, nem sempre quem a está fazendo se baseia em dados, mas em sua opinião pessoal. Além disso, ela costuma se apoiar no que a pessoa acha sobre a intenção do outro, e não em resultados concretos.

Por exemplo, é possível criticar um erro de um colega e não procurar entender o porquê dele. Já o feedback conta com uma estrutura completa, que analisa o que levou a pessoa a tal resultado.

Por isso, palavras como “eu acho” ou “na minha opinião”, não fazem parte de feedbacks, nem mesmo dos positivos.

Leia também: Neurodivergente: o que é, exemplos e principais dúvidas!

Diferença entre feedback e avaliação de desempenho 

Esses dois termos também podem ser confundidos, pois ambos fazem parte das rotinas das empresas.

Entretanto, a avaliação de desempenho é um procedimento feito pelas organizações de tempos em tempos, a partir de um planejamento, e demanda uma análise mais longa. Isso porque, ele vai avaliar todo um período, a performance, metas e desenvolvimento de um colaborador na empresa. 

Além disso, existem diversos tipos de avaliações de desempenho. Nesse caso, elas variam de acordo com objetivos e necessidades diferentes. 

Já o feedback se baseia mais em ações pontuais da rotina e pode acontecer a todo momento, sem necessariamente precisar de planejamentos e levantamentos mais extensos.

5 técnicas para dar bons feedbacks positivos

Como introduzimos, é possível fazer bons feedbacks ao aplicar dicas práticas. Separamos cinco delas para você conferir já!

  • Faça o feedback ser o mais imediato possível;
  • Estruture os pontos principais antes de fazer o feedback;
  • Destaque os fatores positivos;
  • Dê dicas de como o colaborador pode evoluir;
  • Mostre exemplos práticos.

1 – Faça o feedback ser o mais imediato possível

Essa dica não é válida apenas para os feedbacks positivos, mas para todos os tipos. 

Quanto mais instantâneo for o feedback, melhor. Assim, ele tem mais impacto e valor, e não se perde no meio da rotina.

Além disso, esse tipo de ação ajuda a ter uma boa comunicação na empresa, que começa a desenvolver uma cultura de retornos entre equipes.

2 – Estruture os pontos principais antes de fazer o feedback positivo

Por mais bem-intencionados que sejam, alguns feedbacks podem não ser tão efetivos se não forem bem estruturados.

Isso porque um bom retorno conta com as palavras e expressões certas. 

Entretanto, no calor e na animação do momento, isso pode acabar se perdendo. Então, antes de conversar com o colaborador e colega de equipe, deixe alguns pontos claros:

  • Qual ação irei destacar? Por quê?
  • Quais os impactos dessa ação?
  • Qual postura irei elogiar?

Podem parecer pontos simples, mas ajudam a evitar alguns erros comuns, como comparar as pessoas, ser redundante, etc.

3 – Destaque os fatores positivos

É possível afirmar que esse é o ponto central do feedback positivo, certo? Porém, ao fazê-lo, pode ser fácil focar só na parte da parabenização e do agradecimento e esquecer da prática.

Por isso, nunca deixe de ressaltar exemplos e ações reais que fizeram aquela pessoa merecer o feedback.

É possível destacar uma parte da jornada dela até aquele momento, entre outras coisas. O importante é mostrar o que ela fez de diferente e como isso impactou a empresa positivamente .

Descubra como evitar as consequências jurídicas do Burnout

4 – Dê dicas de como o colaborador pode evoluir

Um bom feedback é o primeiro passo para um plano de ação, que promove mudanças em quem o recebeu. Como RH ou líder, esse é um ponto bastante importante para ajudar no desenvolvimento do colaborador e construir equipes cada vez mais eficientes.

Portanto, ao preparar um feedback e comunicá-lo, não esqueça de separar ações simples e eficientes para ajudar o colaborador a evoluir na decisão desejada.

Além disso, essa ação ajuda a receber o feedback com maior facilidade, já que demonstra que é algo construtivo e o afasta ainda mais da crítica.

clima organizacional

Entenda como a orienteme é a solução mais completa para evoluir as habilidades do seu time enquanto potencializa a saúde dele. Confira!

5 – Mostre exemplos práticos

Um bom feedback positivo também pode contar com sugestões e encorajamentos para o colaborador.

Além de agradecer e apreciar o trabalho feito, uma ótima forma de complementar o seu feedback positivo é incentivar ainda mais resultados. Isso pode acontecer através de benefícios, acessos a cursos e até mesmo programas de reconhecimento.

Como você viu nos tipos de feedback, a sugestão de maneiras de evoluir é uma opção nesse tipo de feedback. Claro, é importante balancear isso e não fazer parecer um feedback construtivo/de melhoria.

Um exemplo de como essa atividade pode ser é: [nome da pessoa], parabéns pelo seu resultado em [acontecimento]. Ao utilizar [citar quais habilidades], você fez um trabalho acima da média. Estava pensando se você quer saber mais [sobre a área em que a pessoa foi bem]. Se sim, tenho esse [livro/curso/artigo] que vai te ajudar a brilhar ainda mais, você tem interesse?”

Viu? Dessa forma, é possível fazer o feedback e ainda oferecer opções de crescimento e autoconhecimento.

O que não fazer no momento do feedback?

O que evitar no feedback

Dar feedback em um momento muito corrido ou atarefado;
Dar feedbacks (principalmente negativos ou construtivos) na frente de outras pessoas;
Interromper a fala do outro;
Não ser assertivo e empático;
Não ser sincero;
Generalizar atitudes, falas ou comportamentos;
Ser vago.
Dicas para o seu feedback ser ainda mais assertivo

Comentamos que o momento de feedback pode gerar tensão entre as duas partes, mas não precisa ser assim. Com algumas dicas simples, é possível evitar problemas na comunicação e tornar o momento de um feedback positivo, negativo ou qualquer outro mais natural.

Portanto, algumas ações que você deve evitar no momento de dar um feedback são:

  • Dar feedback em um momento muito corrido ou atarefado;
  • Dar feedbacks (principalmente negativos ou construtivos) na frente de outras pessoas;
  • Interromper a fala do outro;
  • Não ser assertivo e empático;
  • Não ser sincero;
  • Generalizar atitudes, falas ou comportamentos;
  • Ser vago.

Assim, é importante lembrar que dar bons feedbacks é questão de prática, estudo e desenvolvimento pessoal.

Segurança psicológica: a base da boa comunicação na empresa

Uma das formas de fortalecer o feedback positivo na sua empresa é proporcionando um ambiente de trabalho saudável.

Para isso, é essencial garantir a segurança psicológica. Isso porque, esse conceito significa a liberdade que as pessoas têm para argumentar, sugerir, colaborar, errar e desafiar dentro da organização.

Assim, quando não está presente, cria times reprimidos e com uma comunicação ruim. Naturalmente, o feedback não se desenvolve bem nesses cenários.

Mais ainda, um local com uma comunicação ruim abre portas para diversas doenças ocupacionais, como estresse, depressão e, em casos mais graves, até a Síndrome de Burnout.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial e divulgada pela BBC News Brasil, mais da metade dos brasileiros entrevistados disseram que sua saúde mental piorou durante a pandemia, e o ambiente de trabalho tem forte relação com isso. Mas não para por aí.

De acordo com a Previdência Social, em 2021 mais de 75 mil brasileiros sofreram afastamento do trabalho por conta de quadros de depressão. Somado a outros números sobre a saúde mental no trabalho, fica clara a necessidade de ação por parte das empresas.

Assim, oferecer a segurança psicológica é um passo importante para promover maior qualidade de vida no trabalho. Algumas ações que ajudam nessa tarefa são:

  • Incentivar a abertura ao diálogo sincero;
  • Não punir erros;
  • Cuidar da gestão ocupacional;
  • Treinar lideranças;
  • Criar equipes com uma gestão mais colaborativa.

Acesse o nosso guia completo sobre segurança psicológica para medir esse conceito na sua empresa e entender o passo a passo definitivo para aplicá-lo.

Como aproveitar os diferentes tipos de feedback?

Como você viu, há mais de um tipo de feedback. Da mesma maneira, existem diversos momentos em que o feedback pode ser benéfico para várias áreas da empresa, além da comum relação entre líder e liderados:

Feedback do cliente para a organização

Esse retorno externo é uma das melhores fontes de melhoria para os negócios. Afinal, o consumidor deve ser o foco do negócio e, na prática, é quem sente os efeitos do seu produto/serviço. 

Por isso, não deixe de contar com pesquisas de satisfação frequentes, espaços para sugestões e outros ativos desse tipo.

Feedback entre áreas

Uma empresa tem muito a ganhar com um bom ambiente de trabalho é essencial para maiores resultados. Isso também se traduz em relação à conexão das equipes e ao feedback entre elas.

É possível criar dinâmicas de grupo ou outras atividades para que esses retornos sejam mais frequentes, mas é importante que aconteçam.

Isso porque, áreas correlacionadas têm muito a agregar entre si e podem compartilhar boas práticas que tornam o trabalho mais produtivo.

Feedback para líderes

Em geral, é esperado que o movimento do feedback seja outro, de líderes para liderados.

Porém, para dar certo, o feedback entre equipes precisa ser uma via de mão dupla. Para ajudar nesse sentido, é recomendado que o líder, quando possível, separe um tempo para dar e receber retornos de sua equipe.

Isso previne conflitos entre a gestão e ajuda a fortalecer as relações, além de contribuir com o desenvolvimento.

Conte com a orienteme para desenvolver a sua empresa de maneira completa!

A saúde e o bom desempenho no trabalho são compostos por diversos fatores, mas principalmente pelo equilíbrio emocional, nutricional e físico. Por isso, uma das principais ações que a sua empresa pode fazer para potencializar o time é oferecer possibilidades de evolução nesse sentido. 

Afinal, uma equipe desequilibrada não consegue dar o seu melhor, o que afeta diretamente os resultados de toda a empresa e os principais indicadores de RH.

A orienteme é a opção ideal para te ajudar nesta tarefa. Somos uma plataforma de gestão de saúde corporativa, que conecta colaboradores a uma vida mais saudável por meio de psicólogos organizacionais, orientação nutricional e orientação física, porque a saúde é composta por um olhar holístico.

Ao contratar a plataforma para sua empresa, os trabalhadores ganham acesso a profissionais de psicologia, nutrição e orientação física com certificação e experiência, além de um mapeamento completo feito por indicadores estratégicos da orienteme, que identificam como está a atual situação da saúde da sua empresa. 

A equipe de RH tem o Portal Corporativo, um painel que permite acompanhar a evolução de diversos indicadores que ajudam a diminuir os níveis de absenteísmo, sinistralidade e aumentar a produtividade, entre outros!

A partir disso, você conta com a orienteme para conectar seus colaboradores com os melhores profissionais em cada caso a ser tratado, além de uma equipe pronta para te ajudar a entender os indicadores de saúde da sua empresa e promover ações assertivas.

Interessou-se pela nossa plataforma, mas quer conhecê-la melhor? Entre em contato com um de nossos consultores e entenda como podemos ajudar sua empresa e sua equipe!

Entenda como a orienteme concentra a saúde e o bem-estar da sua empresa em uma só solução.

indicadores de rh

Mais sobre Saúde Ocupacional

Importância de treinamentos sobre gerenciamento de estresse para equipes

Atuação estratégica do RH pode evitar transtornos mentais relacionados ao trabalho

Doenças mentais incapacitantes para o trabalho

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​