Qualidade de vida no trabalho

Neurodivergente: o que é, exemplos e principais dúvidas!

Daniela Haidar Chohfi -

A pergunta “o que é neurodivergente” está presente nos mais diversos meios atualmente. Seja na internet, redes sociais, grupos sociais e, inclusive nas empresas, a atenção sobre o assunto começou a crescer.

A partir dos esforços das comunidades, temas sociais, como a de neurodivergentes, estão tendo sua importância evidenciada e, assim, abrindo espaços para pessoas que, antes, não teriam acesso aos mesmos.

Esse é só um dos motivos pelos quais é importante entender o que é neurodivergente e como esses indivíduos devem ser incluídos nas empresas, ainda mais para quem atua com psicologia organizacional ou lideranças.

Assim, iremos explicar mais sobre o que é neurodivergente, suas diferenças em relação a outros termos, exemplos, como ter uma empresa mais neurodiversa, entre outros.

Boa leitura!

Entenda como a orienteme concentra a saúde e o bem-estar da sua empresa em uma só solução

O que é neurodivergente?

Neurodivergente diz respeito a condições que fazem com que certos indivíduos tenham um desenvolvimento neurológico específico, Assim, isso faz com que eles encarem o mundo e as situações diferentes do “esperado”. 

Isso porque, a maioria dos indivíduos segue um desenvolvimento cognitivo que, sem considerar as diferenças individuais, pode ser considerado “típico”. 

Portanto, o neurodivergente, ao ter esse desenvolvimento neurológico diferente, pode não se adaptar às situações vividas por um neurotípico. 

Por isso, o movimento da neurodiversidade procura trazer visibilidade para como essas diferenças não são problemas. Ao contrário, respeitá-las e normalizá-las no dia a dia pode contribuir para ambientes melhores.

Quem cunhou a palavra neurodiversidade foi a socióloga australiana Judy Singer, em 1998, fortalecendo essa mobilização por mais inclusão.

Isso porque, a inclusão de pessoas neurodivergentes é um movimento social necessário. De acordo com o programa Neurodiversidade no Trabalho, da Universidade Stanford, entre 15% e 20% da população mundial é considerada neurodivergente.

Portanto, ao incluir essas pessoas nos ambientes de trabalho e em outros espaços sociais, é possível aproveitar suas potencialidades, gerar inovação e garantir oportunidades mais igualitárias para esses grupos.

Leia também: Síndrome de Burnout: o que é, causas, sintomas e muito mais

Descubra como evitar as consequências jurídicas do Burnout

O que é neurotípico?

Neurotípico é o termo usado para caracterizar aquelas pessoas com o desenvolvimento neurológico considerado “normal” dentro de padrões definidos em relação à memória, atenção, cognição e assim por diante.

Neurodivergente e neuroatípico são o mesmo?

Como você conferiu, neurodivergente é a denominação dada àqueles indivíduos com alguma condição que afeta seu desenvolvimento neurológico, fazendo com que reajam de maneiras diferentes a certos estímulos tidos como “normais” por pessoas neurotípicas.

Sendo assim, a palavra neuroatípica é outro sinônimo de neurodivergente. As duas terminações fazem derivam de movimentos contra o capacitismo (discriminação de pessoas com deficiências e defesa de um “padrão” na sociedade). 

Leia também: Feedback positivo: o que é, como fazer, exemplos e 4 técnicas para aplicar!

Exemplos do que é neurodivergente

Infelizmente, as condições que caracterizam quem é neurodivergente ainda sofrem com diversos estigmas entre a sociedade. Isso porque, ainda existe a necessidade de ressignificar o que esses termos significam.

Portanto, reunimos informações sobre algumas das condições que compõem a neurodiversidade para que você as conheça melhor.

1 – TDAH 

De acordo com a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), o TDAH pode ser caracterizado como um “transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida”.

Sendo assim, alguns dos seus sinais são:

  • Impulsividade;
  • Inquietação;
  • Desatenção;
  • Dificuldade em organização;
  • Problema em terminar tarefas.

Assim, uma pessoa com TDAH deve contar com apoio profissional para encontrar a melhor forma de ajustar a rotina a esses sinais. 

Com o acompanhamento e as adaptações corretas, esses indivíduos conseguem ter maior qualidade de vida no trabalho e no dia a dia em geral.

2 – Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) está diretamente relacionado ao neurodesenvolvimento caracterizado por padrões de comportamento repetitivos e, sem o diagnóstico precoce, prejuízos na comunicação e interação social.

Assim, indivíduos dentro espectro podem apresentar:

  • Dificuldade em interagir socialmente;
  • Padrões incomuns de comunicação ou padrões repetitivos de fala;
  • Dificuldade em compreender os sentimentos alheios ou demonstrá-los;
  • Incômodo ao sair da rotina ou resistência à mudança de hábitos;
  • Seletividade alimentar.

Ainda, a dificuldade de diagnóstico, principalmente em mulheres, torna difícil afirmar o número de pessoas com TEA. 

Porém, de acordo com o Conselho Nacional de Saúde, estima-se que existam cerca de 2 milhões de pessoas com algum grau de TEA no Brasil, o que evidencia ainda mais a importância de incluir esses indivíduos nas empresas e em outros espaços.

3 – Dislexia

A dislexia é um transtorno relacionado principalmente à aprendizagem e ao desenvolvimento escolar. Isso porque, a condição pode se manifestar em diferentes graus e necessita de acompanhamento multidisciplinar para garantir qualidade de vida e desenvolvimento escolar e profissional.

Assim, alguns dos sinais de dislexia (mais comumente identificados na infância) são:

  • Lentidão na aprendizagem;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dificuldade em soletrar 
  • Troca de letras com sons e/ou grafias parecidas.

4 – Síndrome de Tourette

A Síndrome de Tourette é uma perturbação neurológica crônica que faz com que a pessoa apresente determinados tiques (simples ou complexos). Em geral, os sinais costumam aparecer antes dos 18 anos.

Portanto, os tiques podem afetar as habilidades motoras e a fala do indivíduo. Alguns desses comportamentos que caracterizam a síndrome são:

  • Piscar os olhos com frequência e rapidez;
  • Repetir palavras sem controle;
  • Usar diferentes tons de voz;
  • Realizar movimentos repetitivos.

Assim, é comum que esses sinais sejam mais presentes no início da adolescência, podendo ser agravados em situações de alto estresse.

5 – Dispraxia

A dispraxia é uma disfunção neurológica que afeta a coordenação motora, comandada pelo cérebro. Portanto, ela gera dificuldades para controlar os músculos, dificuldades no desenvolvimento do esquema corporal e atraso nas funções motoras. 

Geralmente, é mais perceptível em crianças ao longo de seu desenvolvimento.

Entretanto, alguns outros sinais ajudam a evidenciar a dispraxia, como:

  • Dificuldade em manter o equilíbrio;
  • Problemas com a postura corporal;
  • Dificuldade em ter percepção espacial;
  • Confusão ao organizar os próprios pensamentos.

Em geral, essa doença é relacionada a “crianças muito desastradas”, exatamente porque a dificuldade em realizar movimentos pode gerar essa confusão em realizar um diagnóstico correto sem uma observação mais longa. 

Porém, também é possível que se apresente em adultos, especialmente após um AVC ou traumatismo craniano, por isso o reforço da importância de cuidar da saúde de forma holística.

Para se aprofundar mais no assunto e entender mais sobre a inclusão de pessoas neurodivergentes, em seu Ted, Elisabeth Wiklander explica como encarar a neurodiversidade como uma abertura a maiores de possibilidades muda a nossa visão de mundo. Confira. Legendas em português estão disponíveis caso necessário.

Leia também: O que é ansiedade? Quais as causas? Quais os sintomas?

Como ter uma empresa mais neurodiversa?

Primeiro, é preciso entender que a neurodiversidade abarca todos os diferentes tipos de desenvolvimento cognitivo, normalizando essas diferenças. Portanto, ela abrange indivíduos neurotípicos e neurodivergentes.

Assim, essa conscientização e a compreensão de que é necessário incluir os diversos tipos de diversidade é o primeiro passo.

Além disso, ações de diversidade e inclusão nas empresas são essenciais para promover um ambiente acolhedor e igualitário para todos os grupos de pessoas.

A partir delas é possível:

Assim, não basta apenas incluir o indíviduo neurodivergente na empresa, mas proporcionar as condições adequadas para que ele sinta-se acolhido e valorizado, conseguindo contribuir com seu melhor desempenho.

Isso porque, existem muitos benefícios em contar com uma equipe mais diversa. É possível ter ideias mais plurais e times mais preparados para a inovação, além de contribuir com um papel social e com o engajamento do time.

Conte com a orienteme para promover um ambiente de trabalho saudável na sua empresa!

O desenvolvimento e o crescimento de equipes é composto de diversos fatores, mas principalmente pelo equilíbrio emocional, nutricional e físico. Por isso, uma das principais ações que a sua empresa pode fazer para potencializar o time é oferecer possibilidades de evolução nesse sentido. 

Afinal, uma equipe desequilibrada não consegue dar o seu melhor, o que afeta diretamente os resultados de toda a empresa e os principais indicadores de RH.

A orienteme é a opção ideal para te ajudar nesta tarefa. Somos uma plataforma que conecta colaboradores a uma vida mais saudável por meio de psicoterapia, orientação nutricional e orientação física, porque a saúde é composta por um olhar holístico.

Ao contratar a plataforma para sua empresa, os trabalhadores ganham acesso a profissionais de psicologia, nutrição e orientação física com certificação e experiência. 

Além disso, a equipe de RH tem o Portal Corporativo, um painel que permite acompanhar a evolução de diversos indicadores que ajudam a diminuir os níveis de absenteísmo, sinistralidade e aumentar a produtividade, entre outros!

Interessou-se pela nossa plataforma, mas quer conhecê-la melhor? Entre em contato com um de nossos consultores e entenda como podemos ajudar sua empresa e sua equipe!

Entenda como a orienteme concentra a saúde e o bem-estar da sua empresa em uma só solução.

indicadores de rh
Leia mais

Saúde e Direitos das Mulheres no Trabalho

Obesidade: como abordar assunto no trabalho

Qual o papel do RH na prevenção das ISTs?  

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​