Feedback positivo e empatia: como estreitar relações com colaboradores

feedback-positivo

A saúde mental tem cada vez mais se tornado tema relevante para empresas que buscam melhorar seu desempenho, e, principalmente, cuidar do bem-estar de seus colaboradores, pois entendem que suas condições físicas e psicológicas impactam diretamente em seu rendimento. 

Criar estratégias de atuação no campo da saúde mental exige que os profissionais de recursos humanos estejam cientes das principais causas de transtornos mentais no trabalho e de como o feedback positivo pode ser um dos melhores fatores de proteção à saúde mental dentro das empresas para evitar ou reduzir o número de casos de colaboradores que apresentam tais transtornos. 

Nesse artigo, vamos apresentar alguns dados que podem te ajudar a entender a relação entre sua empresa e seus colaboradores e lhe proporcionar uma avaliação mais precisa sobre possíveis estratégias para lidar com um tema tão sensível e importante na atualidade. Prepare-se e boa leitura!

Fatores de predisposição a transtornos mentais

Além da própria genética, existem alguns fatores comuns que, geralmente, podem resultar em transtornos mentais. São eles: 

  • redução do contato social;
  • ausência de uma rede de apoio;
  • sedentarismo;
  • má alimentação;
  • desemprego;
  • preocupações relacionadas a dificuldades financeiras;
  • medo de adoecer ou de perder entes queridos, entre outros.

Se em um cenário pré-pandemia esses fatores já eram altamente relevantes, com a chegada da nova rotina imposta pela Covid-19, sua necessidade de acompanhamento passou a ser essencial. 

Existem, também, algumas causas de transtornos mentais no trabalho mais comuns, como: 

  • assédio moral e / ou sexual;
  • jornadas exaustivas;
  • metas abusivas;
  • eventos traumáticos;
  •  perseguição do chefe;
  •  isolamento;
  • descontentamento com a remuneração;
  • acúmulo de funções;
  • ausência de feedback sobre as atividades, entre outros.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial e divulgada pela BBC News Brasil, mais da metade dos brasileiros entrevistados disseram que sua saúde mental piorou durante a pandemia. Mas não para por aí. A saúde mental dos brasileiros já era preocupante mesmo antes da pandemia.

Em 2017, foi apresentado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) um relatório que colocava o Brasil como país com maior prevalência de transtornos de ansiedade nas Américas, com 9,3% da população – cerca de 18,6 milhões de pessoas – afetada por esse transtorno.

volta-ao-trabalho-saude-mental

Sua empresa é empática?

Praticamente ninguém estava preparado para as mudanças que aconteceram do dia para a noite com a chegada da pandemia. Isso se aplica, também, às empresas.  Hoje, os profissionais têm que lidar, muitas vezes, com situações como o home office (trabalho remoto), adequando sua rotina de trabalho ao ambiente de casa. Essa situação pode se tornar ainda mais complicada nos casos em que há crianças em casa. 

Diante disso, as empresas precisam estar atentas aos fatores de proteção à saúde mental, oferecendo, na medida do possível, acompanhamento a cada um dos colaboradores e colocando-se à disposição para o diálogo. É preciso entender que estamos diante de um período que exige adaptação e, principalmente, compaixão e empatia. 

Algumas estratégias podem ajudar a encontrar o “meio termo” entre a produtividade e a saúde mental e, para isso, estabelecer processos bem definidos e ter uma liderança disponível e apta para tomar medidas de acordo com cada situação é essencial. Além disso, benefícios como plano de saúde e plano de carreira auxiliam na avaliação positiva de sua empresa na percepção dos colaboradores, proporcionando uma maior segurança para esses. A terapia é, também, um dos benefícios mais procurados. Para as empresas, alternativas que ofereçam a modalidade da terapia online, como é o caso da OrienteMe, têm sido as melhores soluções em tempos de pandemia.

Essa é a humanização necessária para que exista uma prevenção e um controle sobre os casos de transtornos mentais dentro das empresas. 

Como o feedback positivo pode ser um aliado na prevenção de transtornos mentais?

Principalmente diante das atuais adversidades, o feedback positivo se apresenta como uma grande ferramenta de prevenção aos transtornos mentais, mas não deve ser a única. 

O feedback em si já é essencial para o desenvolvimento de todo profissional, pois apresenta uma oportunidade de aprendizado – quando negativo -, e uma forma de valorização e reconhecimento das capacidades e atividades desempenhadas – quando positivo. 

Esse recurso é uma forma de demonstrar ao colaborador que sua empresa valoriza suas capacidades, seu trabalho e que aposta e confia em seu desenvolvimento. Além disso, essa devolutiva é, também, uma forma de promover direcionamento para a obtenção de resultados ainda melhores, aprendizagens e criar um ciclo positivo no trabalho, em que o colaborador se sente valorizado e, motivado, apresenta maior comprometimento e dedicação às suas tarefas. 

Agora que você já entende melhor quais são as situações que podem promover o desenvolvimento de doenças emocionais  no trabalho e como evitá-las, avalie bem a cultura de sua empresa, pensando sempre nas necessidades de seus colaboradores, e, quando possível, aponte melhorias que possam ser implementadas para garantir um ambiente de trabalho cada vez melhor para todos. 

Gostou do artigo, compartilhe com a rede!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Você também pode gostar

ORIENTEME NA SUA EMPRESA!

Deseja mapear a saúde emocional da sua empresa, oferecer atendimento psicológico aos colaboradores e acompanhar a evolução da saúde emocional das equipes? Solicite um orçamento no botão abaixo e entraremos em contato o quanto antes.

Deseja solicitar um orçamento para sua empresa?

ORIENTEME PARA VOCÊ!

Deseja falar com seu psicólogo por mensagens e videochamadas, quando e onde quiser?

Conheça mais os nossos planos!

INDIQUE A ORIENTEME PARA SUA EMPRESA!