Orienteme Saúde Ocupacional e Bem Estar corporativo

Qualidade de vida no trabalho

Alta rotatividade na empresa: 7 causas e como melhorar

Daniela Haidar Chohfi -

Um dos pilares mais importantes de qualquer organização é sua equipe. Afinal, os resultados dependem da atuação dela. E esse é um dos motivos que faz com que a alta rotatividade na empresa seja a preocupação de diversos profissionais de psicologia organizacional.

Assim como outros indicadores de RH, acompanhar essa métrica traz mais previsibilidade para que o negócio tenha ações efetivas para combater o problema.

Por isso, neste artigo, reunimos as informações mais relevantes para você entender o que é considerado uma rotatividade alta na empresa, quais podem ser suas causas, como melhorar, e mais!

O que é a rotatividade?

A rotatividade, também conhecida como turnover, é um índice que avalia a quantidade de admissões e saídas de colaboradores da empresa em determinado período.

Portanto, empresas com alta rotatividade de funcionários são aquelas em que a equipe não se sustenta a mesma por muito tempo.

Dessa maneira, lugares assim costumam não conseguir sustentar resultados por muito tempo, além de ter processos defasados e uma imagem negativa no mercado de trabalho.

Como calcular o índice de rotatividade da empresa?

O cálculo do índice de rotatividade (ou índice de turnover) é bem simples.

Para isso, basta você dividir a quantidade de colaboradores desligados em determinado período (como um ano) pelo número total de funcionários na época e multiplicar esse valor por 100:

Taxa de turnover = (nº de colaboradores desligados ÷ nº de total de colaboradores) × 100 

Ao final, você terá o índice de rotatividade da sua empresa em porcentagem. 

Para você entender melhor, um exemplo, na prática, seria:

Taxa de turnover = (5 ÷ 800) x 100 = 0,6%

Portanto, a conclusão seria de que, nesse caso, a taxa de turnover do ano (período analisado), foi de 0,6%.

Atenção: na soma do total de colaboradores desligados, é necessário considerar aqueles que foram desligados e os que saíram de forma voluntária.

Como saber se a rotatividade da empresa está alta?

Uma dúvida que provavelmente surgiu nesse momento é: afinal, o que é uma alta rotatividade de funcionários?

Em linhas gerais, esse indicador de RH é impactado por fatores como:

  • Segmento da empresa;
  • Tamanho da equipe;
  • Período analisado.

Porém, de acordo com a média do mercado, uma taxa de rotatividade ideal fica abaixo de 5%.

Quais são os impactos da alta rotatividade na empresa?

Um dos principais impactos da alta rotatividade na empresa é a perda de resultados em diversas frentes.

Essas consequências dependem também do tipo de turnover que acontece, seja ele voluntário ou involuntário, funcional (quando o colaborador já não performava bem, e pede demissão) ou disfuncional (quando a empresa perde um colaborador de alta performance).

Afinal, para funcionar, uma organização depende do trabalho de seus colaboradores, certo? Se a equipe não permanece na empresa, geram vários prejuízos, entre eles:

  • Altos custos com processos de recrutamento e seleção;
  • Má reputação no mercado;
  • Baixa atração de talentos;
  • Estagnação de processos e projetos;
  • Perda de produtividade;
  • Perda de vantagens competitivas.

Quais as causas da alta rotatividade de funcionários?

As causas da alta rotatividade de funcionários podem variar. Ou seja, não é apenas um fator que faz uma organização perder talentos. Às vezes, são fatores diferentes que afetam diversos tipos de pessoas.

Aqui, separamos as principais causas da alta rotatividade de equipes nas empresas.

1 – Cultura organizacional tóxica

A cultura organizacional é um dos principais fatores que influencia a percepção da equipe sobre seu trabalho.

Por isso, ambientes com culturas tóxicas, com metas inatingíveis, assédio moral e pouco respeito e valorização pela qualidade de vida no trabalho costumam ter altos níveis de rotatividade na empresa, além de baixos resultados.

Ainda, esse tipo de local acende o alerta para o desenvolvimento de condições como a Síndrome de Burnout, que colocam a equipe em grande risco.

De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Monster.com, 42% dos entrevistados já trocaram de emprego por conta de um ambiente de trabalho excessivamente estressante.

2 – Remuneração e benefícios pouco atrativos

Cada vez mais, os profissionais estão exigentes sobre as empresas em que escolhem trabalhar, e isso se conecta diretamente com a remuneração e política de benefícios oferecida.

Isso porque, com a revolução do mundo do trabalho, algumas prioridades mudaram. Já não basta apenas oferecer, por exemplo, um salário na média e um plano de saúde.

Isso porque, segundo a pesquisa global da JLL “Workforce Preferences Barometer”, as prioridades dos profissionais na hora de decidir por um novo emprego são qualidade de vida e equilíbrio entre vida profissional e profissional, apontada por 59% dos entrevistados.

clima organizacional

Entenda como a orienteme concentra a saúde e o bem-estar da sua empresa em um só benefício.

3 – Poucas oportunidades de crescimento profissional

Especialmente para certas carreiras, como aquelas em tecnologia, vendas e jurídico, por exemplo, a perspectiva de crescimento profissional é de extrema importância.

Além disso, as gerações mais jovens, como a geração Z, também tende a não aceitar condições de trabalho que não se baseiam na flexibilidade e qualidade de vida. Essas são duas prioridades para pessoas nessa faixa etária.

Assim, sem um plano de carreira, projetos de desenvolvimento e outras ações que ajudem os colaboradores a enxergarem seu crescimento na carreira e na empresa, as organizações tendem a ter cada vez uma maior rotatividade de funcionários.

4 – Falta de reconhecimento 

Para manter uma cultura de alta performance e uma equipe engajada, é essencial motivar e reconhecer os colaboradores com frequência.

Assim, negócios que não se atentam a esse ponto, desenvolvendo programas de reconhecimento, costumam ter uma alta rotatividade na empresa.

Isso porque, o reconhecimento também é um dos grandes motivadores das pessoas dentro das organizações. Elas precisam ser lembradas da importância de seus trabalhos e contribuições para os resultados da empresa.

5 – Lideranças ruins

Como em diversos outros tópicos, a qualidade da liderança afeta – e muito – no comportamento organizacional. Isso ainda é mais nítido ao analisar esse impacto na alta rotatividade nas empresas.

Inclusive, um dado divulgado pela consultoria de recrutamento Michael Page é de que 8 em cada 10 profissionais pedem demissão por problemas com os chefes.

Como resolver o problema da alta rotatividade de funcionários?

Para diminuir a alta rotatividade na empresa, é preciso elevar o clima organizacional como um todo.

Assim, algumas ações (que devem ser mantidas com periodicidade) podem ajudar:

1 – Faça um diagnóstico de clima organizacional

Para saber quais ações tomar, nada melhor do que identificar a raiz do problema, certo?

Nesse sentido, um diagnóstico sobre o seu tipo de clima organizacional é uma das alternativas mais estratégicas.

Além de reconhecer quais são os fatores que mais afetam e geram problemas relacionados à alta rotatividade na empresa, é possível recolher outros feedbacks importantes.

Para realizar essa tarefa, você pode aplicar uma pesquisa de clima organizacional de maneira periódica. Assim, também é mais fácil medir a efetividade das outras ações com o tempo.

2 – Implemente programas de qualidade de vida no trabalho

Uma das melhores formas de engajar a equipe e diminuir um turnover alto é evidenciar a valorização da empresa para com ela.

Assim, uma das ações que o RH pode implantar é um programa de qualidade de vida no trabalho.

Um programa de qualidade de vida é composto por um conjunto de ações voltadas à promoção de hábitos saudáveis entre os colaboradores.

Algumas das frentes que podem ser trabalhadas através dele são:

  • Atividades físicas;
  • Alimentação saudável;
  • Saúde mental;
  • Desenvolvimento pessoal e profissional;
  • Trabalho remoto e horário flexível;
  • Lazer e cultura.

Por seus vários benefícios, esse tipo de ação só não ajuda no problema da rotatividade, como aumenta a produtividade e o desempenho, entre outros.

A orienteme é especialista nisso e pode te ajudar. Ajudamos empresas a promoverem programas de qualidade de vida a concentrar a saúde da sua organização em uma só solução.

Conheça mais sobre a nossa plataforma que oferece saúde psicológica, nutricional e orientação física para os seus colaboradores.

3 – Cuide da experiência do colaborador

Para garantir altos níveis de engajamento no trabalho e, portanto, diminuir a alta rotatividade na empresa, o ideal é contar com uma jornada de experiência do colaborador que seja satisfatória em todos os momentos.

Alguns pontos que contribuem para isso são:

  • Processo de recrutamento e seleção transparente e respeitoso;
  • Ações de diversidade e inclusão;
  • Programas de treinamento;
  • Boa comunicação e linha aberta de diálogo, entre outros.

Em seu TED sobre o assunto, Claire Kemp explica mais estratégias para “ganhar o jogo da retenção de talentos”. Confira. Legendas em português podem ser ativadas, se necessário.

4 – Ofereça benefícios voltados ao desenvolvimento e bem-estar

A categoria de benefícios categorizados “bem-estar” é uma das mais procuradas pelos trabalhadores, exatamente pelas vantagens que oferecem para a vida profissional e pessoal. 

Além disso, o bem-estar no trabalho também deve ser uma preocupação da empresa, pois influencia em todo o engajamento e performance dos colaboradores, e os benefícios certos podem fortalecer a empresa nesse sentido. 

Alguns exemplos são:

  • Plataformas de saúde integral;
  • Planos de saúde;
  • Flexibilidade de horário.

Conte com a orienteme para engajar a equipe e diminuir a rotatividade na empresa!

Os índices de rotatividade dependem diretamente de diversos fatores oferecidos pela empresa. Entre eles, o estado de saúde e satisfação da equipe, que são impulsionados pelos benefícios oferecidos e pelas ações aplicadas internamente.

E, por isso, reforçamos que o RH não deve lidar com essa tarefa sozinho.

Acreditamos que pessoas conectadas a si mesmas se tornam mais fortalecidas em todas as áreas de suas vidas.

Por isso, nós fornecemos os melhores profissionais, conteúdos e recursos para ajudá-las a conquistar equilíbrio, saúde e a alta performance em todos os pontos.

Com a orienteme, a sua empresa não precisa escolher apenas um aspecto da saúde para potencializar, mas pode cuidar da sua equipe por completo.

Ao contratar a nossa plataforma de gestão de saúde corporativa para sua empresa, os colaboradores ganham acesso a profissionais de psicologia, nutrição e orientação física com certificação e experiência, além de um mapeamento completo feito pelos indicadores estratégicos da orienteme, que identificam como está a situação atual da sua empresa. 

Além de conteúdos exclusivos feitos pela orienteme, exercícios de mindfulness e meditação. 

Sabemos como ajudar você e o seu RH a superarem seus desafios e terem colaboradores mais fortes, times mais fortes e, assim, uma empresa que atinge todo seu potencial.

Gostou das nossas soluções, mas deseja conhecê-las melhor? Agende uma demonstração para você entender como podemos ajudar a sua empresa!

Entenda como a orienteme concentra a saúde e o bem-estar da sua empresa em uma só solução.

indicadores de rh

Mais sobre Saúde Ocupacional

O que é feedback e qual a sua importância

Como o RH pode contribuir para relações mais saudáveis entre funcionários 

8 dicas para melhorar os processos de recrutamento e seleção

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​