Qualidade de vida no trabalho

Como tratar Burnout: passo a passo e 6 hábitos para implementar 

Daniela Haidar Chohfi -

Entender como tratar o Burnout, quando ele acontece, é decisivo para uma boa recuperação

Isso porque, desde que a OMS considerou a Síndrome de Burnout como uma doença ocupacional, em 1° de janeiro de 2022, diversos profissionais passaram a prestar maior atenção ao problema e suas consequências.

Por isso, é importante que mais pessoas se atentem a como tratar o Burnout e principalmente preveni-lo. Para quem atua com psicologia organizacional, esse conhecimento é ainda mais importante.

Assim, trouxemos uma série de recomendações sobre como é o tratamento da Síndrome de Burnout. Além disso, você também entenderá:

  • Quando sintomas de esgotamento indicam risco;
  • Quem está mais suscetível a desenvolver Burnout;
  • Como tratar o Burnout;
  • 8 hábitos que podem ajudar a fortalecer a saúde;
  • Como as empresas podem ajudar, e mais.

Boa leitura!

Sintomas da Síndrome de Burnout: quando acender o alerta?

É importante lembrar que a Síndrome de Burnout é caracterizada pelo esgotamento físico e mental, provocados principalmente pelo excesso de trabalho. 

Sendo assim, a condição não acontece “da noite para o dia”, mas, por conta de alguns agravantes, como um ambiente de trabalho estressante, vai tomando conta da vida do profissional.

Alguns sinais que podem fazer você acender o alerta sobre o próprio comportamento ou o de pessoas próximas são:

  • Afastamentos do trabalho ou atestados frequentes;
  • Alterações no humor ou mau humor constante;
  • Isolamento social;
  • Irritabilidade;
  • Dores de cabeça e musculares;
  • Alterações no sono, como insônia e hipersonia;
  • Baixa autoestima;
  • Ansiedade;
  • Dificuldade de concentração e lapsos de memória;
  • Desesperança com o futuro;
  • Não conseguir desligar do trabalho;
  • Estresse constante;
  • Perda do apetite;
  • Falta de satisfação com atividades que antes eram importantes;
  • Imunidade baixa ou doenças frequentes.

.

Ter atenção a esses sintomas na rotina é de extrema importância, principalmente considerando que 1 a cada 3 trabalhadores brasileiros são afetados pela Síndrome de Burnout, segundo a pesquisa Pebmed.

Ainda, outro dado alarmante da ISMA (International Stress Management Association), revela que o Brasil é o segundo país com maior número de casos de Burnout no mundo, ficando atrás apenas do Japão.

Portanto, para evitar o crescimento desses números e o comprometimento da saúde da população, as ações de prevenção devem ser cada vez mais assertivas.

Leia também: Como promover a qualidade de vida no trabalho? 6 dicas eficientes!

Quem está mais suscetível a desenvolver Burnout?

Existem diversos profissionais que podem estar mais suscetíveis a desenvolver a Síndrome de Burnout por conta das características das suas ocupações, como:

  • Advogados;
  • Assistentes sociais;
  • Bancários;
  • Bombeiros; 
  • Jornalistas; 
  • Professores; 
  • Policiais; 
  • Executivos;
  • Profissionais da saúde, como médicos e enfermeiros;

Isso acontece principalmente porque esses profissionais costumam ter jornadas duplas ou triplas de trabalho, além de presenciarem e atuarem com situações estressantes.

Principalmente durante o pico da pandemia da Covid-19, foi expressivo o número de profissionais da saúde que apresentaram sintomas de Burnout, por exemplo.

Nesse mesmo sentido, outros estudos sugerem que mulheres podem ser mais afetadas pela síndrome, tanto por precisarem se esforçar mais no mercado de trabalho, quanto pelas múltiplas responsabilidades que podem carregar no dia a dia.

Esses casos podem ser agravados ainda mais se o ambiente de trabalho não for saudável, não oferecer segurança psicológica ou contar com lideranças tóxicas, por exemplo.

Como tratar o Burnout?

A base de como tratar o Burnout consiste na mudança de hábitos e acompanhamento profissional com psicólogo e psiquiatra, se necessário.

Ao procurar ajuda, esses profissionais indicarão o tratamento mais adequado para cada caso.

Da mesma forma, ao receber o diagnóstico de esgotamento, o profissional deve ser imediatamente afastado de sua função, uma vez que ela foi a causadora do quadro.

Assim, é necessário um longo período de descanso e autoconhecimento, em que o colaborador pode se reconectar consigo mesmo e com sua saúde. Isso porque, um dos principais pontos que a síndrome afeta é a saúde mental.

Por isso, a psicoterapia é ideal para reverter e cuidar das causas dos sintomas de esgotamento

Dessa forma, os três pilares do tratamento para Síndrome de Burnout são:

  • Tratamento psicológico;
  • Tratamento psiquiátrico;
  • Mudança de hábitos.

Para que a melhora seja permanente, é importante que a pessoa realmente mude seu estilo de vida. E é neste momento que a adoção de boas práticas duradouras é necessária.

Você sabe qual o custo da saúde
emocional para sua empresa?

6 hábitos complementares para tratar a Síndrome de Burnout

Entender como tratar o Burnout também é entender a necessidade de um compromisso com uma vida mais saudável e equilibrada

Durante o tratamento do esgotamento, os profissionais podem ir propondo pequenas metas de mudança de vida.

Com o tempo, essas alterações podem transformar o dia a dia da pessoa, transformando-a em um profissional que sabe equilibrar a performance profissional com seus interesses pessoais.

1 – Equilíbrio entre descanso e trabalho

Para melhorar a relação com o trabalho de uma vez por todas, é preciso entender que existem limites para a realização de qualquer ocupação. Respeitá-los não significa “dar menos” na carreira, mas compreender que outros pontos da vida também são importantes. Algumas dicas para isso são:

  • Limitar horas de trabalho;
  • Ser honesto consigo mesmo em relação a prazos e volume de trabalho;
  • Adotar hábitos de produtividade saudável;
  • Respeitar horários de refeições.

2 – Atividade física

A atividade física é uma ótima forma de evitar o sedentarismo e melhorar os níveis de estresse, ansiedade e depressão em geral.

Portanto, é uma ótima forma de ajudar no tratamento da Síndrome de Burnout, e também para a manutenção de uma vida saudável sempre.

Para incluir o exercício físico na rotina, o ideal é agregar alguma atividade que traga satisfação no seu dia a dia, desempenhando pelo menos 150 minutos por semana.

3 – Alimentação equilibrada

A qualidade da alimentação desempenha um papel importante na disposição e saúde geral das pessoas. Por esses motivos, ela também combate o Burnout. 

Ainda, esse é um hábito que pode trazer mais satisfação e qualidade para a rotina, configurando até mesmo um novo hobby.

4 – Autodesenvolvimento 

Além de ser essencial para tratar o Burnout, a psicoterapia e outras formas de desenvolvimento são ótimas ferramentas para a vida toda

Para garantir que sempre haverá manutenção e a adoção de um dia a dia equilibrado, é ideal aderir à psicoterapia e a outros hábitos de autocuidado e autodesenvolvimento, como:

  • Estudo constante;
  • Leitura;
  • Meditação;
  • Voluntariado, entre outros.

5 – Priorização dos relacionamentos

Quando se tem Síndrome de Burnout, é comum colocar os relacionamentos de lado em razão de priorizar o trabalho.

Por isso, um ótimo hábito para se adotar na rotina é exatamente priorizar essas conexões na rotina. Nesse sentido e em diversos pontos, a organização é uma grande aliada.

Portanto, não esqueça de reservar um tempo no dia a dia para a manutenção dos relacionamentos, pois são importantes para a satisfação enquanto ser humano.

6 – Hobbies

Apesar de ser muito importante gostar do trabalho e sentir satisfação em realizá-lo, também é preciso desenvolver outras atividades que tragam propósito e motivação no dia a dia.

Isso porque, ao adotar o trabalho como “hobby”, é possível que você abra a janela para a sobrecarga de trabalho, que é exatamente um dos principais fatores que causam o Burnout.

Ao explorar outras possibilidades e interesses, você também pode abrir a janela para um maior autoconhecimento e até mesmo descobrir novos talentos.

Leia também: Dinâmica de grupo: o que é e 9 exemplos para aplicar na empresa (+ bônus)

Como saber se o tratamento está funcionando?

A superação da Síndrome de Burnout é algo muito individual e também depende de análise profissional. 

Porém, a ausência de ansiedade e de outros sintomas que pontuamos, além da delimitação entre vida pessoal e profissional são alguns dos principais sinais de melhora para quem teve esse quadro.

Como as empresas podem prevenir e tratar a Síndrome de Burnout

Além de prevenir e auxiliar a tratar o Burnout, a empresa pode e deve zelar por seu clima e cultura organizacional.

Isso porque, ambientes com muito estresse no trabalho e hábitos de produtividade tóxica podem provocar e contribuir para diversos casos de doenças e afastamentos, não apenas relacionados à Síndrome do Esgotamento.

Por isso, o cuidado preventivo e ativo é a melhor opção para ter equipes sempre saudáveis, engajadas e produtivas.

Para isso, algumas ações-chave podem fazer toda a diferença na empresa, como:

  • Mapeamento dos níveis de risco de doenças ocupacionais entre os colaboradores;
  • Programas de qualidade de vida no trabalho;
  • Ações de segurança psicológica;
  • Benefícios de saúde nutricional, mental e física;
  • Rodas de conversa e momentos de conscientização sobre saúde, entre outros.

Essas são algumas das ações que a orienteme desempenha para ajudar as empresas a buscarem pelo bem-estar no dia a dia, diminuindo níveis de sinistralidade e absenteísmo e aumentando a produtividade.

Para saber mais sobre como podemos revolucionar a qualidade de vida na sua empresa, é só falar conosco.

Conte com a orienteme para prevenir e tratar o Burnout na sua empresa!

A saúde, segurança e o bom desempenho no trabalho são compostos por diversos fatores, mas principalmente pelo equilíbrio emocional, nutricional e físico. Por isso, uma das principais ações que a sua empresa pode fazer para potencializar o time é oferecer possibilidades de evolução nesse sentido. 

Afinal, uma equipe desequilibrada não consegue dar o seu melhor, o que afeta diretamente os resultados de toda a empresa e os principais indicadores de RH. Ela também é mais suscetível a doenças e acidentes.

A orienteme é a opção ideal para te ajudar a blindar a saúde da sua organização. 

Somos uma plataforma de gestão de saúde corporativa, que conecta colaboradores a uma vida mais saudável por meio de psicoterapia, orientação nutricional e orientação física, porque a saúde é composta por um olhar holístico.

Assim, ao contratar a plataforma para sua empresa, os trabalhadores ganham acesso a profissionais de psicologia, nutrição e orientação física com certificação e experiência, além de um mapeamento completo feito feito pela orienteme, que identifica como está a situação atual da sua empresa através de indicadores estratégicos. 

A equipe de RH tem o Portal Corporativo, um painel que permite acompanhar a evolução de diversos indicadores que ajudam a diminuir os níveis de absenteísmo, sinistralidade e aumentar a produtividade, e muito mais!

A partir disso, você conta com a orienteme para conectar seus colaboradores com os melhores profissionais em cada caso a ser tratado, além de uma equipe pronta para te ajudar a entender os indicadores de saúde da sua empresa e promover ações assertivas.

Interessou-se pela nossa plataforma, mas quer conhecê-la melhor? Entre em contato com um de nossos consultores e entenda como podemos ajudar sua empresa e sua equipe!

Mais sobre Saúde Ocupacional

Importância de treinamentos sobre gerenciamento de estresse para equipes

Atuação estratégica do RH pode evitar transtornos mentais relacionados ao trabalho

Doenças mentais incapacitantes para o trabalho

E-BOOK GRATUITO

e-Book Segurança Psicológica: o guia completo para criar equipes inovadoras​